Avalie este artigo

TRANSCRIÇÃO DO VÍDEO

 

No dia a dia a gente se depara com muitos exemplos de amigos que mal terminam um namoro, e já tão caindo de cabeça em outro.  Decidem começar um relacionamento por impulso, por medo da solidão. Como se aquele namoro fosse o último trem partindo de uma estação, e depois dele não viesse mais nenhum.

Muitos relacionamentos seguidos, pulando de fracasso em fracasso; chega a ser engraçado, e ao mesmo tempo de mal gosto dizer “esse namoro não dura um mês”, mas é a realidade, é o que acontece quando se quer apenas suprir uma certa necessidade, uma demanda.  Que na maioria das vezes sequer existe. Quando não se para pra analisar o cenário.

Se você procura uma pessoa pra um relacionamento, tem que deixar claro pra si o que deseja, e não agir impulsivamente, por carência, por pressão da sociedade, da família …ou pra dizer aos outros, olha “eu tenho alguém ao meu lado”, mas na prática estará sozinho. 

E te garanto, que você não quer “a sua metade”, até mesmo porque não faz nenhum sentido. Você não quer a metade de um carro, não compra uma televisão com meio controle remoto. Não deseja algo que venha faltando peças, partes, pedaços.

Tenho a certeza que você quer estar envolvido em algo que possua equilibro, respeito mútuo. 

Namorar não é somente andar de mãos dadas, sair dando beijos aos montes, e sexo… é pensar no bem do outro, não se preocupar se vocês vão estar juntos amanhã, viver o elo e procurar extrair o melhor que se pode dele.   

Mas tenha paciência, não é simplesmente se juntar a primeira pessoa que se diz “disposta pela causa” que você poderá considerar como um namoro verdadeiro.  

E ser solteiro é muito bom, você não precisa dar satisfações o tempo todo, ter que pensar sobre o que você quer fazer no final de semana e se perguntar se ela deseja o mesmo, pode conhecer muita gente nova, muitos lugares novos sem precisar que alguém esteja sempre de acordo.

Sozinho você tem tempo suficiente pra se conhecer, tempo pra evoluir, pra perceber que você não pertence a alguém, e esse alguém não lhe pertence, pra cultivar o desapego, e se você não for…se tornar um inteiro.

Um inteiro é alguém que não busca complemento, que está ciente que em qualquer relação, seja namoro ou amizade é feita de doação, e não apenas ganho. Pode oferecer, sem necessariamente esperar algo em troca.

Não é individualista, pensa no bem de ambos.  Busca o seu crescimento.  

Pode parecer utópico demais, mas existem sim pessoas inteiras.

Quando somos inteiros não buscamos alguém pra nos preencher, buscamos alguém no mesmo momento evolutivo, pra crescer em conjunto.

Ser solteiro é pode apreciar a própria companhia, e poder entender que o valor da frase ”eu tenho a mim”, é muito grande.   

E que cada relacionamento se resuma em: aprender, crescer e compartilhar. Viver numa troca.

Buscar aquilo que inteiro, e embora imperfeito, persiste e permanece.

Compartilhe este artigo:
Milione

Milione

Conhecedor do universo da sedução desde 2007,reunindo experiência teórica e principalmente PRÁTICA resolvi repassar o que aprendi ao longo desses quase 10 anos nas diversas áreas que abrangem esse universo,e poder aprender ainda mais. "O conhecimento não é pra ser guardado a sete chaves e sim pra ser compartilhado, dividido, pois conhecimento guardado é igual dinheiro num cofre, perde o valor e não rende nada."